Publicado em Deixe um comentário

Metionina: Conheça para que serve, todos seus benefícios, e os alimentos que você pode encontrá-la!

Tempo de Leitura: 5 minutos

metionina

Os aminoácidos são fundamentais para nossa saúde, visto que compõem as proteínas do nosso corpo. Geralmente, cada aminoácido exerce um papel diferente, embora sejam todos bastante parecidos. Um destes aminoácidos extremamente importantes é a metionina, que embora não seja muito conhecida pelas pessoas, exerce funções muito importantes em nosso corpo.

Se você deseja saber tudo sobre a metionina, precisa ler este artigo até o final! Você irá se surpreender!

O que é Metionina?

metionina

Como mencionado anteriormente, a metionina é um aminoácido que faz parte da classe dos “aminoácidos essenciais”. Mas o que isso significa? Bem, isso significa basicamente que este tipo de aminoácido não é produzido pelo nosso próprio corpo, portanto precisa ser consumido através da alimentação.

Para que serve a Metionina?

A metionina executa diversas funções importantes no nosso organismo, de forma que, manter o consumo adequado deste aminoácido favorece um bom funcionamento de várias atividades endógenas. Suas principais funções são:

  • Auxílio na produção de glutationa: A Glutationa é um poderoso antioxidante (ou seja: combate os radicais livres), e é formado através do enxofre presente na metionina.
  • Processamento de gordura facilitada: A metionina auxilia o fígado a processar lipídeos e minimizar as toxinas que podem estar presentes neste órgão, através da glutationa.
  • Precursor da creatina: Através da metionina, o corpo produz a creatina,um importante composto de aminoácidos fundamental para a musculatura ter energia.

Quais são os benefícios?

O consumo adequado de metionina favorece muito a saúde do indivíduo, proporcionando benefícios incríveis para o corpo. Conheça os principais:

Promove o balanço hormonal: Algumas pessoas apresentam uma concentração de estrogênio superior à concentração de progesterona. Nestes casos, a metionina é capaz de transformar o estradiol (conhecido como causador de câncer) em estriol, uma forma segura de estrogênio.

Ajuda a combater hepatite e cirrose: Este poderoso aminoácido é capaz de proteger e auxiliar o tratamento medicamentoso para doenças do tecido hepático. Entretanto, é fundamental que o tratamento seja conduzido por um médico.

Precursora do colágeno: A metionina auxilia na produção de colágeno, fundamental para boa estrutura da pele, tendões e tecido conjuntivo.

Prevenção de danos por medicações: A administração de metionina costuma ser feita sob orientação médica em casos de consumo exagerado de medicações como paracetamol, visto que o aminoácido apresenta um efeito protetor ao tecido hepático.

Além dos benefícios citados acima, alguns estudos sobre a metionina encontraram efeitos positivos do consumo desse aminoácido em diversos outros casos, veja a seguir:

  • Auxilia pessoas com mal de Parkinson, reduzindo os tremores causados pela doença;
  • Evita sintomas característicos de indivíduos que estão largando vícios como cigarro, álcool ou drogas mais pesadas;
  • Diminui as crises alérgicas;
  • Evita o aparecimento de sintomas pós-exposição à radiação;
  • Mantém a saúde e o bom funcionamento do fígado;
  • Auxilia no tratamento da osteoartrite, graças a sua ação anti-inflamatória;
  • Coadjuvante no tratamento de dores na musculatura;
  • Ajuda no tratamento de infecções urinárias, pois impede que bactérias se proliferem e agravem a doença;
  • Ajuda no tratamento de inflamações, reduzindo a quantidade de histaminas inflamatórias;
  • Auxilia na prevenção da depressão;
  • Previne a ejaculação precoce em homens;
  • Ajuda o corpo no processo de eliminação de vários metais pesados, evitando assim possíveis intoxicações e problemas de saúde.

Quais são os alimentos ricos em Metionina?

metionina

Depois de ler sobre os maravilhosos benefícios da metionina você deve estar curioso para saber como consumir este maravilhoso aminoácido, certo? Bem, como você pode imaginar, a metionina é encontrada em grande quantidade em alimentos que contenham proteínas.

Embora muitas pessoas acreditem que somente proteínas de origem animal são capazes de oferecer boas quantidades do aminoácido, isso não é verdade. Tanto a proteína animal quanto vegetal são capazes de fornecer metionina, sem nenhuma diferença na qualidade. Uma excelente notícia para os vegetarianos, não é?

Conheça os principais alimentos fonte de metionina a seguir:

  • Castanha-do-Pará
  • Manteiga
  • Grão de bico
  • Milho
  • Gergelim
  • Espirulina
  • Algas
  • Nozes
  • Crustáceos
  • Carne de coelho
  • Aveia
  • Semente de Girassol
  • Leite e derivados
  • Peixes
  • Carne bovina
  • Frango
  • Ovos
  • Peru

Como você pode perceber, muitos alimentos presentes na nossa alimentação são ricos neste maravilhoso aminoácido, sendo assim bastante acessível para a população em geral.

Entretanto, uma questão que merece atenção a respeito do consumo de alimentos ricos em metionina é o cozimento. Alimentos submetidos à fervura ou a longos períodos no fogo geralmente “perdem” a maior parte da sua metionina.

Por conta disso, é interessante incluir na sua rotina diária alimentos ricos neste aminoácido que não necessitem passar por nenhum processo de cozimento, como as nozes, castanha-do-pará, gergelim, leite, etc…

Ou seja, além de consumir uma excelente quantidade de metionina de forma totalmente natural, você ainda se beneficia de uma alimentação saudável e balanceada, que promoverá uma melhora na sua saúde de forma geral. Perfeito, não é?

Excesso de Metionina: Solução ou problema?

Após ler sobre todos os benefícios desse nutriente, é muito comum que as pessoas pensem que quanto maior a quantidade deste aminoácido no nosso organismo, mais saudável estará o corpo. Entretanto, este raciocínio não está correto. Este aminoácido, como qualquer outro, é metabolizado em nosso fígado, gerando como produto a homocisteína.

Sabe-se que a homocisteína em excesso no nosso organismo pode ser extremamente prejudicial, pois favorece o surgimento de diversos problemas sérios de saúde, como: Derrame, aterosclerose, problemas cardiovasculares, doenças neurológicas, Parkinson e até mesmo Alzheimer.

Ou seja, fazer uso de metionina isolada, em forma de suplementação, sem apresentar real necessidade pode causar um grande prejuízo à sua saúde. Quando os níveis de metionina estão muito altos por conta do uso de formas isoladas desse aminoácido, alguns sintomas típicos costumam aparecer, como por exemplo:

  • Agitação excessiva
  • Episódios de delírio constantes
  • Endurecimento das paredes das artérias, podendo favorecer sérios problemas cardiovasculares
  • Excesso de acidez no sangue

Por este motivo, sugerimos que você usufrua da metionina através do consumo dos alimentos fonte, e evite suplementar sem orientação médica.

 Suplementos

Por se tratar de um aminoácido extremamente importante para vários processos endógenos e claro, fazer parte da nossa construção muscular, não demorou muito para que os praticantes de musculação passassem a consumir o suplemento de metionina para favorecer o ganho de massa magra.

Entretanto, ainda não existem estudos específicos relacionando a suplementação de metionina ao maior ganho de massa magra. Por este motivo, não é recomendado o uso deste suplemento para aumento da massa magra corporal.

Porém, como mencionado anteriormente, a suplementação com metionina pode ser indicada para tratamentos do fígado, processos de desintoxicação ou até mesmo em casos de problemas de saúde cujo tratamento seja beneficiado por este aminoácido, como a osteoartrite.

Obviamente, a indicação para estas finalidades deve partir sempre do seu médico.

Caso você receba a indicação médica para o consumo desse nutriente, você poderá encontrá-la facilmente.

Existem hoje, diversas lojas de suplemento online que disponibilizam o produto, além de farmácias convencionais ou manipulação. O consumo é bastante facilitado, visto que o produto é comercializado em forma de cápsulas.

Entretanto, esteja atento à concentração do produto, para comprar exatamente a quantia prescrita pelo seu médico, pois existem diversos laboratórios que comercializam o produto, portanto sua concentração pode variar.

Fonte: Ufmg

Publicado em Deixe um comentário

Ácido Málico: Saiba como ele pode melhorar sua saúde e qualidade de vida!

Tempo de Leitura: 5 minutos

Como todos sabem, alimentos naturais são ricos em fibras, minerais e vitaminas que proporcionam diversos benefícios à saúde de modo geral. Entretanto, além dos já conhecidos micronutrientes, eles podem conter substâncias naturais com propriedades fantásticas, sendo capazes de promover efeitos terapêuticos e até estéticos! Este é o caso do ácido málico!

Você provavelmente deve estar se perguntando “Mas o que é isso?”, mas não se preocupe você não é o único! Infelizmente, a maioria das pessoas desconhece a existência desta substância e seus incríveis benefícios, mas a partir de agora você irá descobrir tudo a respeito do ácido málico! Leia este artigo na íntegra e impressione-se!

O que é?

ácido laico

Vamos à pergunta que não quer calar: “O que é esse tal de ácido málico?” Bem, trata-se de uma substância totalmente natural, presente em frutas e vegetais, principalmente em maçãs, que apresentam a maior quantidade desta substância.

Ele pode ser considerado um composto orgânico de consumo indispensável, visto que está relacionado com o fortalecimento da imunidade, excreção de metais pesados que podem estar acumulados no organismo, promoção da saúde bucal e claro, promover resultados consideráveis na melhora do aspecto da pele.

Nosso corpo também produz ácido málico, mas devido aos seus inúmeros benefícios e efeitos colaterais praticamente nulos, sem dúvidas é uma substância que podemos pensar em consumir à vontade!

Para que serve o ácido málico?

O ácido málico apresenta um efeito muito positivo em nosso metabolismo de forma geral. Entretanto, algumas de suas principais funções são:

  • Produção de Energia: Nosso corpo trabalha de forma minuciosa para conseguir transformar os macronutrientes (carboidratos, proteínas e lipídeos) em energia. Entretanto, para que este processo ocorra da forma esperada, também são necessárias as enzimas, vitaminas e agentes químicos (como o ácido málico) para que o fornecimento de energia se mantenha durante o dia.
  • Aumento do desempenho muscular e esportivo: Se você pratica alguma atividade física já deve ter experimentado a sensação de fadiga e cansaço extremos durante ou após os exercícios. Bem, o ácido málico ajuda a combater a sensação de cansaço e fadiga no período pós-exercício, melhorando o seu desempenho esportivo.
  • Produção de saliva: A maior produção de saliva é uma das formas mais efetivas e naturais para evitar a proliferação de bactérias prejudiciais na boca, e ela ocorre com o estímulo do ácido málico. Por este motivo, o ácido é muito utilizado em produtos para higiene bucal.

Quais são os benefícios do ácido málico?

Você provavelmente já ouviu aquela história que “comer uma maçã por dia melhora a sua saúde e proporciona muitos benefícios”, certo? Bem, a maioria destes benefícios pode ser atribuída ao ácido málico. A lista de benefícios não é pequena, então prepare-se para se surpreender com a lista a seguir:

Melhora da saúde do coração: Em um mundo onde as pessoas são cada vez mais acometidas por problemas cardíacos é sempre uma excelente notícia saber que existe uma substância natural capaz de proteger a saúde cardiovascular.

O ácido málico apresenta uma ação anti-inflamatória e antioxidante que beneficiam o coração e são extremamente úteis no tratamento de condições clínicas que reduzem a quantidade de sangue que chega o coração (como por exemplo, a chamada isquemia do miocárdio).

Deixa a pele mais bonita: Este benefício geralmente mexe com a cabeça das mulheres, por serem o público que mais se preocupa com a saúde e boa aparência da pele. O ácido málico promove uma maior produção de colágeno, minimiza os efeitos nocivos dos raios solares na pele e melhora significativamente a aparência de melasmas.

Quando o ácido é usado de forma tópica, ou seja, diretamente na pele, ocorre a redução de sinais característicos de idade, remoção de algumas rugas e claro, a pele apresenta aspecto de saúde. Não é a toa que essa substância já é muito utilizada pela indústria estética!

Reduz a dor: O consumo deste ácido ajuda a reduzir as dores, principalmente as musculares. Através de um estudo com indivíduos portadores de fibromialgia foi possível comprovar a eficácia do ácido málico para esta finalidade.

Os voluntários receberam o ácido málico juntamente com magnésio e o alívio das dores pôde ser percebido em apenas 2 dias após o início do consumo! Além disso, este público também parece conseguir realizar atividades físicas com maior facilidade quando estão utilizando o ácido com frequência, o que é bastante difícil para pessoas nestas condições.

Realça o sabor dos alimentos: Este ácido costuma ser uma opção natural para realçar o sabor de alimentos, principalmente de bebidas adocicadas artificialmente, visto que apresenta uma doçura natural.

Além destes benefícios, este ácido também ajuda no emagrecimento, melhora a saúde gastrointestinal, melhora a saúde do fígado e auxilia o tratamento para gota. Ou seja: Benefícios é o que não faltam para quem consome ácido málico!

Como consumir?

ácido málico

O consumo desta incrível substância pode ser de 3 formas:

  1. Através das frutas: Como já mencionamos no início do texto, a maçã é a fruta que mais contém ácido málico em sua composição, mas ela não é a única! Também possuem o ácido: Laranja, morango, manga, uva, banana, cereja, lichia e nectarinas. Portanto, inclua frutas na sua alimentação diária! Uma boa dica para consumir uma quantidade adequada de frutas é comer de 3 a 5 porções variadas ao dia, conforme orientação da OMS. Sua saúde agradece!
  2. Através de legumes: Os legumes com a quantidade mais considerável do ácido são: Ervilha, feijão, batata, cenoura e brócolis. Não deixe de adicioná-los no seu prato!
  3. Através da suplementação: O suplemento de ácido málico existe e é comercializado geralmente em forma de cápsulas, o que facilita muito o seu consumo e é de grande validade, principalmente para os portadores de fibromialgia.

Qual é a indicação de consumo do ácido málico?

A indicação de consumo abrangendo concentração da substância e frequência de uso é bastante pessoal e dependerá da avaliação e indicação do seu médico ou nutricionista. A finalidade do uso também deve ser avaliada, afinal, indivíduos que necessitam utilizar o ácido málico como agente terapêutico provavelmente não consumirá a mesma quantidade que pessoas que buscam o ácido para outras finalidades.

Portanto, na dúvida, siga sempre as orientações de profissionais de saúde qualificados!

Possui efeitos colaterais?

Como sabemos, a suplementação feita de forma irresponsável e sem acompanhamento geralmente pode causar complicações de saúde. Entretanto, este não é o caso do ácido málico. Ainda que o consumo do ácido seja feito de forma exagerada, não existem relatos de efeitos colaterais graves.

Algumas pessoas relataram apenas alguns sintomas de origem gastrointestinal como dores na região abdominal, diarreia e náuseas, mas somente após ingerir grandes quantidades do suplemento. Uma dica bastante útil para evitar qualquer tipo de sintoma após consumir o produto é ingerir a cápsula juntamente com um copo de água e procurar manter a hidratação ao longo do dia, consumindo em torno de 2 litros de água.

Ainda que seja um produto seguro, não é recomendado que pessoas idosas, crianças, gestantes, mulheres em período de amamentação, indivíduos que fazem uso de medicações controladas ou pessoas portadoras de doenças graves utilizem o suplemento de ácido málico sem prescrição médica, por precaução.

Não há efeitos colaterais do ácido málico através do consumo dos alimentos fonte, portanto consuma-os sem receio!

Publicado em Deixe um comentário

Aminoácidos: Descubra o que eles são e veja quais tipos existem!

Tempo de Leitura: 3 minutos

Aminoácidos

É só começar a treinar, ter uma vida de atleta, ir até uma loja de suplementos que você não vai mais parar de ouvir falar de aminoácidos. Essas tais substâncias que parecem ser tão importantes para se chegar ao corpo sonhado são muito populares, mas ainda pouco conhecidas de verdade pelas pessoas.

Se você é uma dessas pessoas que ouve falar sobre os aminoácidos todos os dias, mas não tem noção que eles sejam, os seus problemas acabaram. Neste texto, você vai saber tudo a respeito desse complexo importante para o corpo humano e o desenvolvimento muscular. Veja!

O que são aminoácidos?

Aminoácidos são complexos formados por carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio. Esses quatro elementos juntos fazem uma diferença para a vida das pessoas que elas nem imaginam.

Além desses quatro principais componentes químicos, existem as variações de aminoácidos que são formador por outros elementos, como enxofre, cisteína e outros.

Eles estão presentes no corpo humano e também fora dele, em que as pessoas conseguem tê-los a partir da ingestão de alimentos variados. Os aminoácidos estão presentes nas proteínas, então eles são adquiridos, normalmente, por meio de carnes, grãos e laticínios.

São bons para quê?

Os aminoácidos são muito importantes para todo o funcionamento do corpo humano. Eles atuam no fortalecimento de órgãos, músculos, tecidos e até dos ossos. Além de terem relação direta com hormônios e demais partes do organismo que precisam desses complexos para continuarem funcionando perfeitamente.

No caso de quem busca um corpo forte e definido, os aminoácidos são mais do que essenciais, são obrigatórios. Eles ajudam na construção e reconstrução dos músculos, aumentam a massa magra, auxiliam na hipertrofia e também são ótimo para a resistência e, assim, evitar lesões e fadigas musculares.

Com isso, o consumo de aminoácidos é completamente necessário para qualquer pessoa. Seja para se manter vivo e saudável, ou para ter músculos também e um corpo definido e forte.

aminoácidos

 Leia mais: No texto sobre a Leucina e seus benefícios!

Onde comprar?

Para comprar seu produto e não sair de casa basta clicar no Walmart, lá você encontra os melhores preços, facilidades nas formas de pagamento, entrega rápida e muito mais. Não é atoa que as pessoas estão satisfeitas com a qualidade dos produtos e serviços.

Essenciais e não essenciais

Esses compostos são divididos em diversos grupos, os principais e mais conhecidos são os chamados essenciais e não essenciais. Na verdade, todos são essenciais, a nomenclatura é apenas para definir quais você precisa obter por meio da alimentação ou da suplementação.

Os aminoácidos essenciais não são produzidos pelo corpo humano, mas eles são necessários para que você continue vivo. A deficiência de um deles que seja pode causar a morte de uma pessoa.

Por isso, é muito importante que você consuma proteínas com uma certa frequência, mesmo que você não coma nada de origem animal.

Já os aminoácidos não essenciais têm esse nome, porque eles já estão presentes no organismo humano. Com isso, não há necessidade de você ingeri-los para se manter vivo e saudável.

Porém, se você quer ter um corpo musculoso e hipertrofiado, vai ter que tomar suplementos que aumentam o nível desses aminoácidos no seu organismo.

Dentro dessa definição mais geral existe mais de uma dezena de outras subdivisões para definir o que é cada aminoácido e em que parte ele atua no organismo.

Para cabelos

Os aminoácidos, como já foi dito, atuam em todas as partes do corpo humano, em tudo mesmo, até mesmo nos cabelos. Se você quer ter cabelos fortes, brilhosos, saudáveis e tudo mais, pode usar suplementos e produtos cosméticos que tenham como base a cisteína, a arginina, a cistina e tirosina.

Aminoácidos sulfurados

Os aminoácidos sulfurados são exatamente esses descritos no tópico sobre cabelo. Eles auxiliam no fortalecimento dos fios, no brilho, na saúde capilar e de todos os pelos do corpo humano e também de outros animais.

Eles ajudam na síntese de queratina, aquela proteína muito usada em cosméticos para tratar dos cabelos e também da pele.

Glicogênios

Os glicogênios são tipos específicos de aminoácidos que originam a glicose e o próprio glicogênio nos músculos e fígado.

Quando essa substância vai para os músculos, pode gerar aumento de energia e de massa muscular. Porém, se ele vai para o fígado, pode dar alguns problemas, como gorduras e demais situações nada saudáveis.

Os aminoácidos são mega necessários para todo o funcionamento do corpo humano, seja em homens ou mulheres. Se tiver ainda alguma dúvida sobre como funcionam os aminoácidos, deixe o seu comentário aqui embaixo!

Publicado em 3 comentários

Palatinose

Tempo de Leitura: 2 minutos

A palatinose é um carboidrato  derivado das fontes de sacarose, que por ser totalmente digerido pelo o organismo traz inúmero benefícios ao organismo. Ela é muito utilizada por pessoas que querem  emagrecer e por atletas, pois ela fornece energia e auxilia na recuperação dos músculos. Saiba tudo sobre a palatinose agora.

palatinose

Primeiramente é preciso saber que a palatinose se difere por ser um carboidrato com   baixo índice glicêmico, que é em torno de 32, o que significa que o fornecimento de energia em forma de glicose é mais lento e equilibrado, não acarretando picos de glicose e de insulina no organismo, o que faz com ela forneça  energia por mais tempo. Por isso ela é recomendada tanto para quem quer emagrecer quanto para praticantes de atividade física e atletas.

Como utilizar a palatinose

A palatinose é muito utilizada por pessoas que estão fazendo dietas para emagrecer, pois ela tem a capacidade de reduzir a fome e a necessidade do consumo de açúcar, uma vez que ela é um carboidrato derivado da sacarose do mel e da cana de açúcar. A palatinose é também responsável por promover a oxidação de gordura, o que permite maior utilização da gordura corporal e de ácidos graxos como fontes de energia durante a atividade física.

Já para  os praticantes de atividade física e atletas, o seu uso também é recomendado, uma vez que a palatinose contribui no retardamento da sensação de fadiga, já que ela   fornecer energia de forma contínua e duradoura, além de que ela é responsável por poupar o glicogênio muscular e hepático.

A palatinose é totalmente digerível e lentamente liberado para o  organismo o  que  possibilita ao corpo uma energia por mais tempo. Além de ser saudável aos dentes, pois como ela não é digerida pelas bactérias orais, pode oferecer proteção aos dentes contra as cáries.

Benefícios da palatinose

Por ser um carboidrato que tem total absorção e controla a inserção de glicose e insulina no organismo a palatinose possui diversos benefícios que devem ser levados em conta. Confira alguns:

Oxidação da gordura: A palatinose possui o mesmo tanto de calorias que o açúcar comum, porém ela acelera a oxidação da gordura o que ajuda no emagrecimento. Ou seja, além de fornecer energia de qualidade ela também ajuda na redução do tecido adiposo.

Quantidade de açúcar na quantidade certa: isso acontece, pois a palatinose faz com que a gordura exerça o trabalho do dia a dia e acaba evitando o gasto de glicogênio muscular em outras tarefas. Assim, durante os treinos de musculação, ainda tem muito glicogênio para queimar.

Fornecimento de energia por mais tempo: a palatinose consegue ser absorvida mais lentamente a sacarose numa velocidade de 4 a 5 vezes menor. Esse fato é a consequência do fato das ligações químicas entre as moléculas serem muito fortes e difíceis de serem quebradas.

Modo de tomar a palatinose

Por mais que a palatinose seja um alimento saudável e repleto de benefícios, ela deve ser consumida com cautela. É recomendado que seja ingerido entre 15 e 18 gramas de palatinose por dia, ela pode ser utilizada em mistura com bebidas.

Publicado em Deixe um comentário

Vitamina D3 10000 ui onde comprar com o melhor preço e benefícios.

Vitamina D3 o que é ?Tempo de Leitura: 3 minutos

As vitaminas são nutrientes essenciais para o nosso corpo, elas podem contribuir na prevenção de doenças e no desenvolvimento. A  vitamina D3 é uma vitamina produzida pelo organismo quando a pele fica exposta à luz solar, mas também pode ser adquirida por meio da alimentação. Conheça agora tudo sobre a vitamina D3 comprar.

A vitamina D3 preço é um hormônio lipossolúvel essencial para o corpo humano ela controla 270 genes, inclusive células do sistema cardiovascular. A principal fonte de produção da d3 vitamina 10000 ui é a exposição solar, pois os raios ultravioletas do tipo UVB são capazes de ativar a síntese desta substância. Porém é possível obter a vitamina D por meio da alimentação especialmente os  peixes e os derivados do leite. Mas é por meio do sol  que o corpo recebe de 80 a 90% da vitamina necessária. Ela também pode ser encontrada em forma de suplemento alimentar, necessário para  quando existe deficiência de vitamina D e também para a prevenção ou  tratamento de uma várias doenças.

Função da vitamina D3

A vitamina D é necessária para a manutenção do tecido ósseo, ela também  tem influência no sistema imunológico, sendo importante para o tratamento de doenças autoimunes, como a artrite reumatoide e a esclerose múltipla, e no processo de diferenciação celular, a falta da vitamina D favorece 17 tipos de câncer.

A função principal da vitamina D é aumentar a absorção de cálcio que ocorre no intestino, para favorecer a formação normal dos ossos e dentes. Por isso falta de vitamina D pode favorecer o aparecimento de doenças ósseas, como a osteoporose, osteomalacia ou raquitismo nas crianças. A deficiência de vitamina D pode ser causada pela exposição inadequada a luz  do sol ou pela falta da ingestão de alimentos com vitamina D na dieta.

Benefícios da vitamina D3 10000 ui

Os benefícios da vitamina D estão relacionados com a saúde dos ossos e dentes. Além disso, a vitamina D  auxilia no aumento da força muscular, diminui o risco de diabetes tipo 1, melhorar o equilíbrio e  ainda ajudar a emagrecer.

Para o fortalecimento dos ossos a   vitamina D ajuda na absorção do cálcio o que os deixa mais fortes. O cálcio é responsável por fortalecer ossos e dentes.Pessoas que apresentam deficiência de vitamina D chegam a aproveitar 30% menos de cálcio adquirido na alimentação.

O coração também é beneficiado pela vitamina D, pois ela participa do controle das contrações do músculo cardíaco, necessárias para bombear o sangue para o corpo. Além disso, ela permite o relaxamento dos vasos sanguíneo o que influencia na produção do principal hormônio regulador da pressão arterial.

Vitamina D3 10000 ui beneficios
Vitamina D3 10000 ui beneficios

Onde encontrar vitamina D3

A vitamina D é encontrada em alimentos de origem animal como os peixes, frutos do mar, os cogumelos, quando expostos à luz ultravioleta, também aumentam a quantidade de vitamina D.

Os alimentos com mais quantidade de vitamina D são:

  • Óleo de fígado de bacalhau
  • Atum enlatado em água
  • Sardinhas enlatadas em óleo
  • Leite, iogurte e queijos
  • Carne ou fígado de vitela
  • Gema de ovo
  • Alguns cereais enriquecidos
Vitamina D3 onde comprar e preço
Vitamina D3 onde comprar e preço
Publicado em Deixe um comentário

Antioxidantes

Tempo de Leitura: 2 minutosA todo o momento ouve-se falar: tal alimento é rico em antioxidantes, ajuda a prevenir o envelhecimento precoce pois destrói os radicais livres! Um chá determinado, rico em antioxidantes, ajuda a remover as toxinas do corpo! Mas, afinal, o que são antioxidantes? Quais são suas propriedades, e que alimentos são ricos em antioxidantes? Se quiser saber mais, leia esse artigo e se informe.

antioxidantes

O que são radicais livres?

Antes de falar sobre antioxidantes, temos que explicar o que eles combatem: os radicais livres. Esse é o nome para designar certas moléculas que surgem em reações normais do nosso organismo – como fazer exercício e respirar – e acabam criando reações de oxidação em cadeia, danificando e destruindo células no caminho.

O que são antioxidantes?

Eles são responsáveis por bloquear ou retardar o dano oxidativo causado pelos radicais livres. Eles podem proteger as células, repará-las quando estão danificadas, se ligar a certas toxinas e agir desintoxicando o organismo. Alguns são produzidos no próprio corpo, como a catalase, a glutationa e o superóxido desmutase. Outros, são absorvidos através da alimentação e estão presentes em frutas, verduras e cereais integrais. Uma dieta rica e variada oferece antioxidantes variados, melhorando o sistema imunológico e prevenindo diversos males, além do efeito antienvelhecimento já conhecido através de estudos.

Tipos de antioxidantes

Os antioxidantes se dividem basicamente em dois grupos, os hidrofílicos e os hidrofóbicos. Os primeiros são solúveis em água, reagindo principalmente dentro do líquido celular e na corrente sanguínea. Antioxidantes hidrofóbicos são solúveis em lipídios e protegem a membrana celular.

Funções

  • Vitamina A – De ação preventiva, afasta o risco de diversos cânceres incluindo: mama, pele, bexiga, estômago, retal ou cólon.
  • Vitamina C – Tem o papel de proteger o organismo contra o aparecimento de tumores malignos.
  • Vitamina E – Impede o dano de radicais livres especialmente nas articulações e nos olhos.
  • Flavonídes – Incluindo aqui o licopeno, famoso por suas propriedades capazes de afastar o risco do câncer de próstata, os flavonídes destroem os radicais livres e previnem doenças do coração.
  • Catequínas – Ajudam no tratamento de certas doenças infecciosas ou cardiovasculares.

 Alimentos que contém antioxidantes

  • Frutas e frutas secas: Melão, damasco, manga, laranja, limão, acerola, mamão, nozes, castanhas, morango, uvas, abacaxi.
  • Verduras: Couve, espinafre, brócolis, pepino.
  • Legumes: Batata doce, cenoura, abóbora, tomate.
  • Alimentos de origem animal: Carne vermelha e branca, leite, gema de ovos.
  • Sementes e cereais: Arroz, trigo, aveia, linhaça.
  • Ervas: Açafrão, cavalinha, dente-de-leão, sálvia.

Se não for possível consumir antioxidantes através de sua dieta, converse com um nutricionista e ele te receitará um suplemento de antioxidantes. A ciência está estudando esse tipo de suplementação em relação à prevenção de determinadas doenças, mas ainda não se sabe se o estresse oxidativo é a causa ou resultado do aparecimento de doenças como o câncer. A ênfase desses estudos tem sido, principalmente, em doenças cardiovasculares e neurodegenerativas. Um resultado, entretanto, já descoberto, é que o excesso de suplementação de antioxidantes pode ter consequências nocivas para o organismo, então vale a pena conversar com um médico especialista antes de fazer uso indiscriminado dessas substâncias.

Publicado em Deixe um comentário

Fibras alimentares na dieta

Tempo de Leitura: 2 minutosMuitas pessoas subestimam o poder das fibras, seja para manter uma digestão saudável consequentemente, maior bem estar, seja para controlar o peso. Há também grande dúvida sobre os tipos de fibra: solúvel? Insolúvel? O que elas fazem e quais suas diferenças? Experimente ler algumas informações sobre fibras e melhorar sua alimentação hoje mesmo.

As fibras alimentares são polissacarídeos, isto é, macromoléculas formadas por monossacarídeos de origem vegetal.  O corpo humano não consegue digerir essas moléculas, por isso elas não fornecem calorias, mas são indispensáveis para o funcionamento do organismo. As fibras são derivadas das paredes celulares das células vegetais.

fibras alimentares

Quais são os tipos de fibra?

Existem três tipos de fibra, o terceiro sendo o menos comentado de todos mas um dos mais importantes. Há o grupo de fibras solúveis, capazes de se misturar com a água, e quando se misturam, essa fibra se transforma num tipo de gel no aparelho digestivo. Isso faz com que a digestão desacelere, trazendo maior saciedade e melhor absorção dos nutrientes do que estiver sendo consumido.  Isso faz com que haja retardamento da absorção da glicose, deixando de haver picos glicêmicos. Essa é uma boa fibra pra ser consumida em quem está em dietas de emagrecimento, já que há maior controle da fome.

As fibras insolúveis não podem ser diluídas, o que significa que elas entram pelo corpo e são excretadas posteriormente intocadas. Essa fibra consegue aumentar o bolo fecal e tornar as fezes macias, contribuindo para uma boa digestão, melhorando o movimento peristáltico e mantendo a mucosa saudável, e evitando o câncer de cólon. Esse tipo de fibra é atraído naturalmente pela gordura presente na digestão, e por não serem degradadas, as levam embora do intestino.

O último tipo de fibra, mas não menos importante, é a fibra probiótica. Assim como a fibra insolúvel, ela não é degradada na digestão pois o corpo humano não possui enzimas para quebrá-la. Diferente das outras, essa fibra serve como alimentação para as bactérias boas que vivem em nosso intestino, o que facilita o combate às bactérias más.

Exatamente por não serem digeridas, a ingestão de água é extremamente essencial junto com as fibras. Elas vão se acumular no trato intestinal, provocando prisão de ventre e podendo favorecer o aparecimento de hemorróidas. Seu excesso também não é recomendado, visto que isso pode atrapalhar a absorção de certos minerais – o consumo ideal, em um dia, é algo entre 20 e 40 gramas.

Onde estão presentes as fibras?

Quem não aprecia frutas e vegetais vai encontrar problemas em consumir sua dose diária. As fibras solúveis são encontradas apenas em alimentos de origem vegetal, principalmente frutas, verduras e legumes. Aí também se incluem os cereais, frutas secas e algumas nozes. Já as insolúveis, são encontradas nas cascas das frutas e legumes, nas sementes e até em algas. Por isso, não se deve desperdiçar as cascas daquilo usado para comer – experimente transformá-las em farinhas para misturar em outros alimentos.

Um jeito interessante de incluir fibras na sua alimentação é misturar preparados de fibras em outros alimentos, como sopas, iogurtes, molhos, etc.

Publicado em Deixe um comentário

Suplementos dietéticos vs. Auxiliadores ergogênicos

Tempo de Leitura: 2 minutosSabemos que a complementação alimentar é amplamente realizada por praticantes de atividades físicas, principalmente por fisiculturistas e atletas de alta performance em geral. Esta suplementação alimentar é, em alguns casos, fundamental para a manutenção da dieta destes atletas, por ser uma maneira prática de fornecer os nutrientes que não podem ser consumidos em quantidades adequadas em uma dieta padrão, tais como, proteínas, fibras, vitaminas, minerais e aminoácidos.

Para quem pretende iniciar uma dieta com previsão de suplementação, é fundamental conhecer um pouco mais sobre o assunto para entender em qual momento esta será necessária e realmente efetiva em seu caso.

Os estudos realizados na área, atualmente dividem a suplementação em duas maneiras amplas: Suplementos dietéticos e auxiliadores ergogênicos. Para te ajudar a compreender estes terrenos, explicamos um pouco mais sobre o que se trata cada um desses casos.

Suplementos dietéticos

suplementos-dieteticos

Os suplementos dietéticos são mais comuns de serem encontrados em dietas e, em alguns casos, são considerados a forma mais saudável de manter uma suplementação nutricional. Em resumo, suplementos dietéticos fornecem ganho de energia e reposição nutricional exigida após a prática de atividades físicas.

Dentre as opções de suplementos dietéticos encontram-se:

– Bebidas esportivas, com CHO e eletrólitos;

– Os suplementos com alto teor de CHO como os géis de CHO;

– Multivitamínicos e vitamínicos;

– Suplementos minerais;

– Refeições líquidas;

– E os suplementos à base de cálcio.

Este tipo de suplementação é reconhecido como uma forma de complementação que não promove o aumento do desempenho de um atleta. No entanto, alguns estudos afirmam o contrário, por considerar este ganho um alvo consequente da melhora nutricional. Afinal, atletas não ficam melhores com uma suplementação dietética, mas ganham mais tempo em prática da sua atividade, o que consequentemente melhora a sua performance.

Suplementos auxiliadores ergogênicos
auxiliadores-ergogenicos Já a suplementação auxiliadora ergogênica engloba todos os demais tipos de suplementação, sendo considerada capaz de aumentar a performance de um atleta. Isto porque este tipo de suplementação fornece substâncias que, fisiologicamente, não fariam parte da demanda nutricional. O que poderia ser entendido como uma forma de não apenas manter o atleta em atividade por mais tempo, mas também de torná-lo mais forte ou mais rápido.

Este fator deve ser uma grande preocupação para atletas, principalmente de competição, por tornar a prática deste tipo de suplementação algo muito próximo ao doping. Portanto, fique atento e consulte sempre um especialista antes de iniciar a sua dieta complementar.

Publicado em 1 comentário

Serotonina

Tempo de Leitura: 2 minutos

O cérebro humano tem uma série de substâncias conhecidas como neurotransmissores, ou seja, são elas que servem como mensageiras, fazendo a comunicação dos neurônios. Essas substâncias exercem papéis essenciais no nosso organismo, essenciais para o funcionamento dos órgãos vitais. Hoje falaremos do neurotransmissor que merece destaque: a serotonina.

A serotonina é um composto orgânico encontrado em toda a natureza, e foi nomeada em 1948 – e ela é metabolizada através de um aminoácido chamado triptofano. Ela tem funções diversas e nem todas ainda foram estudadas, mas já há muitas pesquisas. O que a neurociência pode garantir é que ela está ligada à liberação de alguns hormônios e ao ritmo cardíaco, regula nosso ciclo de sono, o apetite, a temperatura corporal e até algumas funções intelectuais. Os níveis baixos de serotonina ou sua transmissão pouco efetiva podem causar várias patologias como ansiedade, depressão, obesidade, enxaqueca e até esquizofrenia.

Serotonina

A serotonina e o humor

A serotonina tem frequentemente sido associada ao estado afetivo das pessoas. É por isso que fármacos antidepressivos possuem inibidores de recaptação da serotonina – desse modo, mais dela estará presente no corpo, trazendo um aumento do tônus psíquico do indivíduo e uma melhora no humor, aumentando o desempenho geral de pacientes depressivos.

 A serotonina e o apetite

Com taxas normais de serotonina, o apetite é mais facilmente saciado e o controle sobre a compulsão por doces é maior. É por isso que remédios que aumentam a serotonina estão cada vez mais frequentemente sendo usados em dietas para perda de peso. Entretanto, é preciso cuidado: enquanto a baixa serotonina pode causar obesidade, a alta serotonina pode levar a quadros de anorexia.

A serotonina e a atividade sexual

A serotonina traz um efeito inibidor da liberação de hormônios sexuais, o que diminui a resposta sexual normal. É por esse mesmo motivo que pessoas que fazem tratamento com antidepressivos, que aumentam a presença da serotonina no corpo, causam também baixa na libido.

A serotonina e a musculação

A falta dessa substância prejudica diretamente os ganhos musculares, exatamente por causar instabilidade no ciclo de sono. Uma noite bem dormida é essencial para o crescimento muscular, junto com a alimentação adequada e o exercício, justamente por ser quando os músculos se reparam.

Alimentos que ajudam a aumentar a serotonina

Os alimentos que ajudam a levantar os níveis de serotonina devem ser consumidos em pequenas doses e várias vezes por dia, para que apresentem efeito satisfatório. Ao comermos, temos sensação de bem estar porque estamos suprindo uma necessidade do nosso corpo, mas alguns alimentos potencializam essa sensação e ajudam na liberação de serotonina.

– Carnes magras (especialmente peixes com ômega 3 em sua composição) – O consumo dessa substância está associado à maior produção de receptores de neurotransmissores como a serotonina, a dopamina e a noradrenalina, todas em parte responsáveis pelo bem estar psíquico.

– Banana – Cada 100g de banana contém 18mh de triptofano, o precursor da serotonina.

– Mel – É um carboidrato rico em triptofano, que também tem uma ação calmante. O mel também ajuda a regenerar a flora intestinal, e mais de 90% da serotonina é produzida no intestino.

Publicado em Deixe um comentário

Café: benefícios x malefícios

Tempo de Leitura: 2 minutos

Uma lenda diz que um pastor árabe observou suas ovelhas ficarem mais espertas ao comer as folhas e frutas do cafeeiro. Ele os experimentou e sentiu maior vivacidade, o que levou um monge da região a preparar uma infusão dos frutos para manter o sono longe enquanto orava.

cafe

A história do café começou no século IX, e ele é originário da África, mais especificamente da Etiópia. Foi difundido pelo mundo através da Europa e do Egito. Foi trazido ao Brasil pelos colonizadores portugueses, já que na época o café já possuía alto valor comercial. Com o fim do tráfico de escravos negros, que movimentava muito dinheiro, esses investimentos foram parar em outros lugares, inclusive na cultura do café.

Nos tempos de hoje, o café não é só parte principal do café-da-manhã do brasileiro, mas uma forma de envolvimento entre as pessoas. Quem nunca escutou um “vamos tomar um cafezinho qualquer dia”? E por ser tão presente, é importante saber tudo de bom e até de ruim que o café pode nos trazer. A principal substância majoritariamente presente no café é a cafeína, que é responsável pela maioria dos efeitos associados ao café.

Entre os principais benefícios do café estão:

A cafeína, quando em grãos verdes do café, acelera o metabolismo;

Seu consumo moderado pode reduzir o risco de cancro hepático;

A cafeína também fornece energia;

Pode ajudar a combater a depressão;

Pode prevenir o câncer de pele;

É rico em antioxidantes, diminuindo a quantidade de radicais livres;

Ajuda a manter o raciocínio e o foco;

Ajuda a regular o fígado.

Claro, a maioria desses efeitos está associada ao consumo moderado. Em exagero, o poucas pessoas sabem que a cafeína pode gerar vício, como qualquer outra substância, provocando crises de abstinência na falta dela. Isso traz sintomas desagradáveis como dor de cabeça, irritabilidade, diminuição da concentração etc. Além disso, o excesso de cafeína pode causar intoxicação. Os sintomas são presença de dores de cabeça, fadiga, dificuldade de concentração e humor depressivo; e na presença de mais de um deles, associada ao hábito de tomar muito café, deve-se procurar um médico já que a intoxicação é quase certa. Além disso, doses elevadas podem causar ansiedade, nervosismo, tremores musculares, taquicardia e até zumbido nos ouvidos. Não é bom tomar café depois do almoço, pois a cafeína “compete” com a vitamina C e o Ferro, podendo anular esses nutrientes. A cafeína é um grande indutor da osteoporose, que causa a perda significativa de cálcio nos ossos.

Para quem há percebeu seu próprio vício e deseja diminuí-lo, o ideal é diminuir aos poucos a dose de cafeínas ingeridas, seja na forma de café, chás, chocolate, refrigerantes, etc. Misturar o café com leite, tomar cafés descafeinados e com adoçante podem também diminuir a possibilidade de vício, fazendo com que aos poucos a abstinência fique mais longe. É por causa dela, inclusive, que não é recomendada a interrupção súbita da ingestão de cafeína se não quiser enfrentar sintomas desagradáveis. Então, fica aqui a dica: café, só em doses moderadas.